domingo, 18 de setembro de 2016

Pauta do Olhar: o que o professor precisa olhar para registrar -ARTIGO

CLIQUE NO LINK :


Olhar do professor: 12 escalas do brincar - um excelente arquivo

clique no link abaixo :

OLHAR

ATIVIDADES MONTESSORIANAS

CLIQUE NO LINK:

Ponteira de Lápis da Corujinha

lembrancinha ponteira lapis corujinha eva volta aulas dia das criancas (4)


Corujinhas está em alta, eu adoro fazer fazer lembrancinhas e enfeites com elas. A sugestão de hoje é uma ponteira de lápis muito fofa! Basta reaproveitar sobras de EVApara fazer vários modelinhos de corujinha. Essa lembrancinha é uma boa sugestão paravolta às aulasdia das crianças e outras datas comemorativas. Com esses modelos de corujinha você pode aproveitar para decorar cadernos, pastas ou murais escolares.
Veja outros modelos de ponteira de lápis aqui
lembrancinha ponteira lapis corujinha eva volta aulas dia das criancas (1)
 

fonte:  http://www.painelcriativo.com.br/2014/03/10/ponteira-de-lapis-da-corujinha/?utm_source=feedburner&utm_medium=email&utm_campaign=Feed%3A+PainelCriativoblog+%28Painel+Criativo%29

Semana da Criança - Atividades para o Dia da Criança



quarta-feira, 14 de setembro de 2016

mais um pra fazer bolhas de sabão

CLIQUE NO LINK ABAIXO :


bolhas gigantes com meia

DIVERSÃO EM FAMÍLIA 


Para fazer cobras bolha do arco-íris que você precisa garrafas - pet ou de água, e o que você tiver meias pequenas ou grandes (ou ambos) e de reposição.Corte a parte inferior fora de cada garrafa e cobri-a com uma meia, puxando-a para cima apertado de modo que a barra do pé da meia é esticada na parte inferior (que cortar a parte do tornozelo fora para torná-lo mais fácil), prendendo-a com um elástico ou fita adesiva.

Em uma tigela rasa ou balde, faça uma solução de sabão borbulhante e água -  cerca de 2 colheres de sopa. de sabão para um copo ou dois de água, e mecha suavemente ao redor para misturar.

Mergulhe a ponta meia para o sabão, em seguida, explodir através da boca da garrafa, e pronto - longas, cobras de bolhas serpenteadas e crianças de todas as idades adoram. Colocando corante alimentar na meia antes de soprar bolhas para as bolas gigantes de arco-íris brilhantes -   faz um maior sucesso.




Aviso: se você puxar o corante, certifique-se que as crianças estão usando roupas velhas, e soprar suas bolhas na grama para não manchar seu deck ou mobiliário!

Verão feliz!



http://inventeereinvente.blogspot.com.br/2013/03/bolinhas-de-sabao-gigante-e-colorida.html

Como fazer bolhas de sabão gigantes

bolhas gigantes na pandorga 8
Se as crianças já ficam hipnotizadas ao fazer bolhas de sabão, daquelas pequenininhas mesmo, imagina só a sensação da garotada ao brincar com bolhas de sabão gigantes. No Mês das Crianças, o site de Marisol conversou com uma especialista no assunto, que divide com a gente a “fórmula mágica” da brincadeira. Estudante de Artes Visuais e brincante por vocação, Maria Galant Melgarejo ou Maria SóMaria, como gosta de ser chamada durante as oficinas, é uma entusiasta da atividade:
– Fiz vários testes, mas foi a receita que um amigo meu trouxe de São Paulo, do grupo Bolhas de Sabão Gigantes, que levou à bolhona perfeita. E depois que achei a receita, quis espalhar com todo mundo, porque garante muita diversão não só para crianças como para adultos também. E é tão fácil de fazer, com ingredientes caseiros, que não tem motivo para não repetir em casa – conta Maria (na foto abaixo).
12042915_1662507143992307_6370512191091770490_n
Ficou animado? Então selecione os materiais, convoque a criançada para a tarefa e ocupe parques, praças e pátios. Se estiver ventando um pouquinho, melhor ainda. Porque a ordem do dia é espalhar bolhas de sabão gigantes pelo ar!

“A Fórmula Mágica”
– 7 copos de água
– 1 copo de detergente de cozinha
– 2 colheres de sopa de açúcar (ou 1 colher de sopa de mel)
Misture tudo com delicadeza. A ideia é não se emocionar demais para não criar muita espuma, o que pode atrapalhar a brincadeira. Não precisa deixar a solução descansando. Se a intenção for fazer em maior quantidade, é só seguir as proporções da receita.

“A Vareta Mágica”
Para espalhar bolhas gigantes pelo ar, você vai precisar de um instrumento especial. Ensinamos aqui como confeccioná-lo. Abre e salve o passo a passo para repetir em casa:
Truque: uma dica é amarrar um parafuso (ou prego) no meio do barbante inferior. Isso pode fazer a diferença para que o barbante não enrole na hora de formar a bolha.
Fotos: Ocupação Pandorga/Divulgação.


ver mais imagens vide fonte:

http://www.marisol.com.br/bolhas-de-sabao-gigantes/

bolha de sabão com garrafa pet

Pensa em algo que a criançadaa-do-ra: bolhas de sabão! E esta ideia do Professor Sassá tá simplesmente demais, é omonstro das bolhas, feito com garrafa pet,tem passo a passo,confiram! Do Estadinho.
brinquedos reciclado para dia das crianças

De que você vai precisar:- Uma garrafa pet de 600 ml - Uma toalhinha ou pedaço de pano - E.V.A. nas cores laranja, verde e preto (ou que você preferir) - Elástico - Detergente de louças - Uma vasilha com água - Cola de E.V.A. - Tesoura sem ponta. Agora é só prestar atenção no passo a passo e fazer o seu!
brinquedos reciclado para dia das crianças

brinquedos reciclado para dia das crianças

brinquedos reciclado para dia das crianças

brinquedos reciclado para dia das crianças

Prontinho... vamosbrincar?
brinquedos reciclado para dia das crianças

brinquedos reciclado para dia das crianças
Tem moldes, clique para ampliar.

Outrasdicas:Bolhas de Sabão personalizadas são ótimos presentinhos para incluir no pacote de guloseimas epresentespara oDia das Crianças. Simples detalhes como aplicações em EVA, botões e florzinhas fazem a diferença. Veja só estas idéias:



Read more:http://www.pragentemiuda.org/2010/09/fazendo-brinquedos-bolha-de-sabao.html#ixzz4KGVhl6bf

Como fazer uma máquina de bolhas de sabão (brinquedo)

Como fazer lindas varinhas para brincar de bolha de sabão




Como fazer lindas varinhas para brincar de bolha de sabão infelizmente as imagens não carregam, para vê-las , por gentileza olhem pela fonte .




Com o clima esquentando cada vez mais, que tal se divertir um pouco com bolhas de sabão junto aos seus pequenos no jardim? Hoje, nós vamos ensinar como fazer varinhas para brincar de bolha de sabão em casa, mais baratas e bem mais lindas do que as vendidos nas lojas. É super divertido!
Olha só o passo-a-passo:



Você vai precisar de:
– Miçangas de mandeira, plástico, vidro ou conchas;
– Arame;
– Alicate.
Siga cada uma das etapas da foto acima, da esquerda para a direita. Use o alicate para torcer o arame no final para evitar que as miçangas caiam.

Pronto! É super simples, não é?
Para fazer a solução, nós recomendamos misturar água e sabão (pode ser água e detergente também) em um copinho. Não há limite de idade, nem número de participantes. Para brincar, é só molhar a varinha na solução, soprar e deixar as bolhas voarem por aí. Melhor ainda se for em um lugar aberto, porque o vento ajuda levar as bolinhas para longe e evita que se faça um pouquinho de sujeira e que se deixe as coisas um pouco escorregadias.
Só cuide do seu pequeno para ele não beber a solução. Se você acha que isso pode acontecer, ensine ele a fazer um movimento rápido segurando a varinha para que as bolinhas se desprendam.
Quem fizer, pode postar as fotos para a gente ver. Boa diversão! ;)

http://www.blogmodainfantil.com.br/como-fazer-lindas-varinhas-para-brincar-de-bolha-de-sabao/

LOUVOR LINDO! DEIXA EU TE USAR - SARAH FARIAS - VÍDEO CLIPE

A BOLHA REDONDINHA - TRABALHANDO NH / LH - 1º ANO/ 2º ANO

























http://www.amorensina.com/2013/08/a-bolha-redondinha-trabalhando-nh-lh-1.html

terça-feira, 13 de setembro de 2016

530 ATIVIDADES PARA EDUCAÇÃO INFANTIL - JPEG

CLIQUE NO LINK ABAIXO :

26 CONTOS AFRICANOS PARA TRABALHAR EM SALA



CLIQUE NO LINK ABAIXO :






PROJETOS DE CANTINHOS

5 Projetos de Cantinhos para educação infantil

1-Cantinho dos Jogos ou Cantinho Lúdico;

Confeccionados em EVA, cortiça, cartolina ou até mesmo de madeira e borracha, também devem estar ao alcance dos pequenos em um cantinho especial.

Quebra-cabeças, jogos de encaixe e muitos outros...

Sugerimos que, caso a escola não tenha como oferecer nem tão pouco pedir ajuda aos familiares, a professora vá confeccionando-os aos poucos, por exemplo, de acordo com as datas comemorativas, e colecionando-os numa caixa separada.

Entre diferentes jogos é sempre necessário ter aqueles ligados às letras, às histórias infantis. Atividades como manusear o alfabeto móvel para fazer montagens, leituras, sequenciações, escrita do nome próprio e dos colegas, montar quebra-cabeças de textos escritos e com imagens são de muita importância. Os alunos que terminam suas tarefas mais rapidamente podem usufruir desse cantinho, sentindo assim prazer em permanecer dentro da sala.

Saindo da sala, as crianças deverão contar com espaço para brincadeiras ao ar livre.

Se chover, mude a organização das mesas, crie mais espaço em sua sala e faça brincadeiras bem divertidas

A canoa virou

O Projeto Nome Próprio também inclui uma atividade para ser desenvolvida na área externa. A base dela será a seguinte estrofe a ser cantada, retirada da cantiga folclórica "A canoa virou": Se eu fosse um peixinho/ E soubesse nadar/ Eu tirava a (Nome da Pessoa)/ Lá do fundo do mar. 

* Organize as crianças em uma roda e, no meio, coloque os crachás com os nomes. 
* Inicialmente, acompanhando os versos da cantiga, fale o nome do aluno e peça a ele para retirar seu próprio crachá.
* Depois, para dificultar a tarefa, convide uma criança para retirar o crachá de um colega. Acompanhando a cantiga, chame-os por ordem alfabética, de modo que os alunos pensem nas letras e identifiquem quem será o próximo a ir ao centro. 
* Cite o nome a ser retirado conforme a dificuldade/ facilidade de cada criança. Para alunos com mais facilidade, nomes mais complexos. Para alunos com algum grau de dificuldade, nomes mais simples, para que todos tenham chance de acertar e sintam-se estimulados.
* Caso o aluno retire o crachá errado, converse com todos, perguntando por que está errado, qual é a primeira letra do nome citado, que letra vem depois, e assim por diante, até o aluno retirar o crachá certo, para daí sair do meio da roda. Os colegas podem dar dicas.

----------------------------------------------------------------------------------------------------------
2-Cantinho das Dramatizações;

Um baú repleto de chapéus, óculos, xales, bijuterias, maquiagens, fantasias, perucas, máscaras...

Em frente a ele, um espelho na altura das crianças. Pronto!

Acaba de surgir dentro da sala de aula um ambiente fascinante onde atividades corporais e de jogo simbólico podem ser realizadas e registradas pelo professor em um segundo momento, juntamente com os alunos, para que percebam sempre a importância de transformar nossa linguagem, ideias, falas, pensamentos em escrita. É interessante convidar outros membros da escola e os pais para ler os registros que podem ser acompanhados de fotos.

----------------------------------------------------------------------------------------------

3-Brinquedoteca 

Um canto na sala com os brinquedos ão pode faltar, especialmente os fantoches e marionetes para dramatização de diferentes histórias. E a sugestão é que os momentos de brincadeira sejam, por vezes, supervisionados pelo professor, que pode fazer interferências criando situações- problemas, comparando-as a atitudes da realidade diária, provocando novas descobertas no meio das brincadeiras. Um bom observador pode descobrir muito dos alunos por meio delas e tirar proveito sempre. Cada atividade realizada com os brinquedos, de maneira orientada pelo professor, pode e deve ser registrada juntamente com os alunos, em um segundo momento. De tanto realizarem este tipo de atividade, verão a escrita e a leitura como algo natural que faz parte do cotidiano, assim como as brincadeiras.

“É na relação com o outro que o homem constrói e reconstrói seu conhecimento”.

Gincanas:

a)- Quem sabe canta. 
A criança de qualquer equipe que tocar a campanha primeiro cantará 

b)- Quebra – cabeça (de gravuras). 
( montar no flanelógrafo. Cada equipe terá 5 minutos para montar, se não conseguir passa a vez para a outra equipe.). 

c)- Aprendi na Bíblia e sei completar.
(Desenhar dois círculos no chão, um para cada equipe. Quem chegar nele 1º , completa o versículo ou frase ou pergunta sobre o tema em estudo.

d)- Roda viva. QUEM FOI Que?????????????

(Todos assentados em círculo, passa-se uma caixa com perguntas. Quando parar a música, quem estiver com a caixinha pega uma pergunta e dá a resposta).

Gincana, jogos e brincadeiras

1- Mordida da maçã; 
2- Estoura balões com fubá; 
3- Guaraná no prato; 
4- Enchendo garrafas com esponjas; 
5- Dança das cadeiras; 
6- Jogos: peteca, corda queimada e futebol;7-Corrida do saco;8- Dança da Laranja;9- Corrida do ovo;10- Acertar o alvo;11- Quem sabe vestir?12- Dar nós em barbante; 


Brincadeiras ao ar livre 

PIQUE-SACI
É um pega-pega comum, mas só vale usar 1 pé pra correr, valendo alternar entre os dois

CORRIDA DE CADEIRAS
Corrida de trios. Cada trio é composto por duas pessoas que unem os braços e formam uma cadeira e um rei que irá subir na cadeira (união de braços). O objetivo é correr e descer o rei na linha de chegada. O trio que conseguir isso primeiro vence.


BALANÇA CAIXÃO
Dois mestres pegam alguém pelas pernas e braços e começam a balançar seu corpo pra lá e pra cá. Uma variação é fazer isso com mais pessoas. Ou seja, os balançados seguram um no braço do outro. É divertidíssimo!

PACMAN
Pega-pega na quadra, porém só é permitido andar por cima das linhas da quadra. O "pacman" (pegador) também deverá andar apenas pelas linhas. Quem for pego, deverá sentar no local exato onde foi pego e servirá de obstáculo para quem está fugindo, mas NÃO para o "pacman", ou seja, o pegador pode pular as pessoas que foram pegas por ele e estão sentadas no chão, mas os fugitivos não podem pular esses obstáculos. Quem for o último a ser pego será o vencedor.

ESTOURA-BEXIGA
Todos participam. Cada jogador terá uma bexiga amarrada em seu tornozelo. O objetivo é estourar a bexiga dos adversários e proteger a sua. Ganha o último que ficar com a bexiga intacta.

REVEZAMENTO DOS RODADOS
Igual ao revezamento do atletismo, mas antes de correr é preciso dar 25 voltas em um cabo de vassoura. São 4 participantes por equipe e ganha a equipe cujo o último participante chegou primeiro. Se cair, levanta e continua.

LATERAL
Jogam duas equipes e dois baleadores. Cada equipe tem seu campo, que estará dividido por uma linha. Quando os baleadores gritarem JÁ, as equipes terão que trocar de campo imediatamente. Durante a correria, os baleadores tentarão balear alguém. Se não conseguir, faz outra rodada. Se conseguir, quem for baleado fica do lado de quem o baleou. O jogo prossegue até não sobrar mais ninguém. Vence o baleador que tiver pegado mais gente.

PEDRA, PAPEL, TESOURA
Um pega-pega bastante divertido. Pedra corre atrás da tesoura, tesoura corre atrás do papel e papel corre atrás da pedra, ganha o primeiro que cumprir sua tarefa.

ARTILHARIA
Dois times em dois campos separados por uma linha. No final de cada campo, é colocado uma garrafa peti. Uma pessoa de cada equipe tenta jogar a bola e derrubar a garrafa do adversário. A equipe que derrubar a garrafa deverá erguê-la novamente, mas se protegendo da outra, que agora tem autonomia para balear. Quem for baleado não pode erguer a garrafa. Se a equipe conseguir reerguer a garrafa antes de todos serem baleados, ela ganha. Mas se todos forem baleados e a garrafa continuar no chão, a outra equipe ganha.


GUERRA DE MANDIOCA
Jogam duas pessoas, cada uma com a sua mandioca segura pela metade. Cada um tem a sua vez de bater com toda a força na que o outro segura. Ganha quem quebrar a mandioca do adversário primeiro.

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
4-Dinâmicas de Grupo Infantis

Dinâmica do Nome

Esta dinâmica propõe um "quebra gelo" entre os participantes. Ela pode ser proposta no primeiro dia em que um grupo se encontra. É ótima para gravação dos nomes de cada um.

Em círculo, assentados ou de pé, os participantes vão um a um ao centro da roda (ou no próprio lugar) falam seu nome completo, juntamente com um gesto qualquer. Em seguida todos devem dizer o nome da pessoa e repetir o gesto feito por ela.

Variação: Essa dinâmica pode ser feita apenas com o primeiro nome e o gesto da pessoa, sendo que todos devem repetir em somatória, ou seja, o primeiro diz seu nome, com seu gesto e o segundo diz o nome do anterior e gesto dele e seu nome e seu gesto... e assim por diante. Geralmente feito com grupos pequenos, para facilitar a memorização. Mas poderá ser estipulado um número máximo acumulativo, por exemplo, após o 8º deve começar um outro ciclo de 1-8 pessoas.

Dinâmica do "Escravos de Jó"

Esta dinâmica vem de uma brincadeira popular do mesmo nome, mas que nessa atividade tem o objetivo de "quebra gelo" podendo ser observado a atenção e concentração dos participantes.

Em círculo, cada participante fica com um toquinho (ou qualquer objeto rígido).

Primeiro o Coordenador deve ter certeza de que todos sabem a letra da música que deve ser :

Os escravos de jó jogavam cachangá;
os escravos de jó jogavam cachangá;
Tira, põe, deixa o zé pereira ficar;
Guerreiros com guerreiros fazem zigue, zigue zá (Refrão que repete duas vezes) 

1º MODO NORMAL:
Os escravos de jó jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);

os escravos de jó jogavam cachangá (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA);

Tira (LEVANTA O TOQUINHO), põe (PÕE NA SUA FRENTE NA MESA), deixa o zé pereira ficar (APONTA PARA O TOQUINHO NA FRENTE E BALANÇA O DEDO);

Guerreiros com guerreiros fazem zigue (PASSANDO SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA), zigue (VOLTA SEU TOQUINHO DA DIREITA PARA O COLEGA DA ESQUERDA), zá (VOLTA SEU TOQUINHO PARA O OUTRO DA DIREITA) (Refrão que repete duas vezes).

2º MODO:
Faz a mesma seqüência acima só para a esquerda

3º MODO:
Faz a mesma seqüência acima sem cantar em voz alta, mas canta-se em memória.

4º MODO:
Faz a mesma seqüência acima em pé executando com um pé.

5º MODO:
Faz a mesma seqüência acima com dois toquinhos, um para cada lado.

Dinâmica da "Escultura"

Esta dinâmica estimula a expressão corporal e criatividade. 

2 x 2 ou 3 x 3, os grupos devem fazer a seguinte tarefa :

Um participante trabalha com escultor enquanto os outros ficam estátua (parados). O escultor deve usar a criatividade de acordo com o objetivo esperado pelo Coordenador, ou seja, pode buscar :

-estátua mais engraçada
-estátua mais criativa
-estátua mais assustadora
-estátua mais bonita, etc.

Quando o escultor acabar (estipulado o prazo para que todos finalizem), seu trabalho vai ser julgado juntamente com os outros grupos. Pode haver premiação ou apenas palmas.

--------------------------------------------------------------------------------------------------------------

5-Brincadeiras com o corpo através das músicas.

1ª AULA: 
GINÁSTICA HISTORIADA
( O professor vai contando a história e as crianças irão fazendo os movimentos).

FOGO NO CIRCO
O circo estava armado no centro da praça. A lona era muito grande, muito grande mesmo. ( o professor abre os braços para dar ideia de tamanho da lona e as crianças imitam), lá dentro havia uma porção de bichos: leão, tigre, girafa, cavalo, onça, urso e um macaco.

Era noite e estava escuro. Os bichos estavam dormindo. Não se ouvia nenhum barulho. Quem tomava conta do circo de noite era o senhor João, um velhinho que sempre levava a mão uma lanterna acesa. Seu João estava sentado e ouviu um barulho. Ele se levantou e foi andando devagarzinho, assim na pontinha dos pés. ( deslocamento de todo o grupo).

Começou a sentir cheiro de queimado e foi andando mais depressa (marcha), mais depressa, mais depressa... Começou a correr na direção do barulho e viu um fogo ainda pequenininho. Voltou correndo assim, por baixo dos bancos ( quadrupedismo).

-O circo está pegando fogo! O circo está pegando fogo! Começou a juntar gente e logo chegaram os bombeiros. 

Vieram muitos carros e os bombeiros puseram a escada e foram subindo (trepar) e começaram a jogar água na fogueira que já estava muito grande.

Os leões urravam ( imitar), os cavalos relinchavam, os tigres rugiam, os macacos guinchavam. Os pobres macacos, que estavam presos nas jaulas, começaram a pular de um lado para o outro (saltar) , pois o fogo já estava perto deles.

Seu João veio abrir as jaulas. Os macacos subiram pelas grades e começaram a atravessar o circo de um lado para o outro, caminhando por cima de um arame (equilibrar ), com muito cuidado para não cair, até chegarem onde não havia mais fogo (colocar no chão uma corda para as crianças andarem em cima ).

Os macacos também quiseram ajudar e começaram a jogar (lançar) tudo para fora do circo. Jogaram as bolas, os arcos, as roupas. Tudo que encontravam eles iam jogando.

Então os bombeiros apagaram o fogo.

Os carros começaram a voltar para o quartel dos bombeiros. Iam correndo pelas ruas (correr), com a sirene tocando (correr imitando o barulho da sirene) .

Lá no circo, já estava tudo calmo outra vez.

Seu João, que tinha tomando um grande susto, agora estava contente, porque tinha salvado todos os bichos. E foi feliz para casa andando (marcha final com todas as crianças cantando).

LATERALIDADE

Esta série de exercícios pretende mostrar a criança que em geral ela se utiliza do seu lado esquerdo e direito simultaneamente mas que o lado não dominante ajuda o trabalho do dominante.

1-Bater uma das mãos na coxa, depois a outra;
2- Fechar e abrir as mãos;
3- Abrir uma das mãos, fechando a outra;
4-Bater um pé, depois o outro;
5-Bater palmas estando com os pés juntos;
5-Bater ora os pés, ora as mãos;

Separar as pontas dos pés e depois juntá-los;
Separar os calcanhares e depois juntá-los;

6-Correr para o lado direito e depois para o esquerdo;
7-Pular com o pé direito sobre a corda, e vice-versa;
8-Colocar a mão direita na orelha esquerda;
9- Colocar o calcanhar esquerdo no joelho direito;
10-Colocar a mão direita no cotovelo esquerdo;
11-Em fila, todas as crianças, andam ao som de uma música e vão seguindo os comandos: Dê uma volta para a direita, para a frente, para trás, para a esquerda;

CANTAR:
cabeça, ombro, joelho e pé.

BRINCAR
ordem, seu lugar, sem rir, sem falar, de um pé, ao outro, de uma mão a outra, bate palmas, piruetas, cruzadinha, queda feita.(dá uma rodadinha) e pega a bola.


http://www.professorasnaweb.com/2015/02/5-projetos-de-cantinhos-para-educacao.html

Projeto de artes com a poesia "Leilão de um Jardim" para educação infantil




CLIQUE NO LINK ABAIXO :



5 Atividades de matemática para o 1º ano (soma)

As atividades a seguir podemos desenvolver os seguintes objetivos:
  • Comparar ou ordenar quantidades pela contagem para identificar igualdade ou desigualdade numérica.
  • Comparar ou ordenar números naturais.
  • Compor e decompor números.











http://www.professorasnaweb.com/2015/11/5-atividades-de-matematica-para-o-1-ano.html





10 Atividades para os primeiros dias de aula de 0 a 4 anos

10 Atividades para os primeiros dias de aula de 0 a 4 anos

ATIVIDADES PARA O PERÍODO DE ADAPTAÇÃO

1- PERCEPÇÃO CORPORAL
Tempo: De 15 a 30 minutos.
Espaço: Sala ampla ou jardim.
Idade: A partir de 1 ano.
Material: Colchonetes

Objetivos: Relaxar; estimular o sentido do tato e o autoconhecimento corporal; e descobrir o prazer no movimento.
Descrição:
Estimule as crianças a deitar em diferentes posições para perceber partes do corpo. Faça perguntas como: o que está encostando no chão? Quem está sentindo a perna? Quem está com o braço todo apoiado?

2- FAZ-DE-CONTA
Tempo: 1 hora.
Espaço: Sala de aula ou área aberta.
Idade: A partir de 2 anos.
Material: Fantasias diversas, roupas do cotidiano de crianças e adultos, panos e retalhos de diversos tamanhos, chapéus, perucas, adereços, fantoches, blocos de espuma e almofadas.

Objetivos
Canalizar a agressividade natural para a experiência lúdica.
Descrição
Estimule a brincadeira com figuras como um lobo ou um monstro. No faz-de-conta, a criança enfrenta aquilo que gera medo – sentimento muito ligado à agressividade. Os outros materiais podem ser usados para fazer cabanas ou muros para se proteger. Entre na brincadeira sempre que sentir a necessidade de interferir, como no momento em que perceber algum conflito. As crianças devem expressar o medo e a agressividade, sem se machucar ou bater no outro.

3- BRINCADEIRA DE MASSINHA
Tempo: De 10 a 20 minutos.
Espaço: Sala de aula.
Idade: De 1 a 3 anos.
Material: Farinha, água, anilina comestível, copos e forminhas com desenhos variados.

Objetivos
Experimentar as transformações e a plasticidade do material, observar diferenças de cores e texturas.
Preparação
Faça a massinha em sala de aula, com a participação das crianças, misturando todos os ingredientes em uma tigela. Elas podem colocar a anilina, observando a mistura da cor na massa branca. Amasse bem até que fique boa para modelar. Conserve-a em um saco plástico para reutilizar outras vezes.
Descrição
Estimule as crianças a manipular a massa livremente, com ou sem o auxílio das fôrmas.

4- CANTINHOS DE BRINCADEIRA
Idade: A partir de 4 anos.
Tempo: De 1 a 2 horas.
Espaço: Sala de aula.
Material: Indicado depois de conversa com os pais.

Objetivo
Adquirir segurança por meio da vivência do que já é conhecido.
Descrição
Pergunte aos pais das crianças quais são as brincadeiras de que elas mais gostam. Depois desse levantamento, agrupe as atividades que mais se assemelham às mencionadas em cantos distintos espalhados pela sala. Exemplo: num espaço, você pode colocar mesinhas com papéis e lápis para desenhar, deixando que se reúnam lá as crianças que gostam desse tipo de atividade. Em outro canto, agrupe carrinhos de brinquedo; no meio da sala, ponha bonecas. As crianças procurarão as atividades a que estão acostumadas em casa, sentindo-se seguras. Pode-se também, simultaneamente, apresentar uma nova atividade num outro lugar da sala.

5- CANTINHOS
Idade: A partir de 4 anos.
Tempo: No mínimo duas horas, duas vezes por semana, o ano todo.
Espaço: Sala de aula.
Material: Caixas de papelão, cola, tesoura, giz, barbante, papel, tinta, pincel, lápis de cor, fantasia, maquiagem, jogos, gibis etc.

Objetivos
Exercer a possibilidade de escolha e tomar decisões; aprender a planejar e refletir sobre as próprias escolhas; e formar critérios de escolha.
Descrição
Organize a sala em espaços com diferentes propostas, como: pintura, leitura, jogos de tabuleiro, faz-de-conta (com fantasias, maquiagem e utensílios), sucatas (com caixas de diferentes tamanhos, barbante, cola, giz, tecido, papéis variados). Converse com as crianças sobre as diferentes propostas organizadas na sala e pergunte a elas o que gostariam de fazer em cada um dos espaços montados. Escute o que elas falam. Você pode sugerir novas idéias ou pedir que outras crianças auxiliem o colega em seu planejamento. A seguir, proponha a elas usar os espaços colocando em prática tudo aquilo que imaginaram. Se achar que necessitam de ajuda para se organizarem nos diferentes espaços, proponha um rodízio ou avise que elas terão a oportunidade de explorar as diferentes oportunidades em outros dias. Deixe as crianças interagirem entre si e com os materiais dispostos. Aproveite para observar a iniciativa de cada uma. Com base em suas observações, faça intervenções individuais ou nos pequenos grupos auxiliando as crianças a colocar em prática seus desejos e idéias ou mesmo ajudando-as a resolverem conflitos. Ao final do tempo previsto, convide todos a se sentar em roda e compartilhar com os colegas aquilo que fizeram, as dificuldades que encontraram, o que descobriram.

6- UMA TRILHA DIFERENTE
Idade: 5 anos.
Tempo: 30 minutos (somente para o jogo).
Espaço: Sala de aula ou pátio.
Material: Cartolina ou papel-cartão colorido e canetas hidrográficas de diversas cores (para a confecção do tabuleiro), dado, materiais diversos para a confecção dos pinos personalizados (massinha, EVA, espuma, cartolina, cortiça etc.), tesoura, cola e fita crepe.
Objetivo
Aprender a elaborar e respeitar regras que façam sentido para todos os integrantes do grupo.
Descrição
Apresente um jogo de trilha que sirva de modelo para as crianças. Discuta com elas que regras o novo jogo terá (por exemplo, em que ocasiões se pode pular duas casas, ficar uma vez sem jogar, voltar ao início, jogar o dado novamente etc.), qual o formato e o tamanho da trilha, as cores E a ordem das de casas, entre outros itens. Peça para todos escolherem de que etapa da construção do jogo participarão: recorte de cartolinas, elaboração das letras e números que integrarão cada casa, colagem dos materiais, construção do próprio pino com o material que desejar. Pronta a trilha e o pino de cada um, combina-se o critério para a ordem dos jogadores na partida, com base também nas sugestões da turma (ordem alfabética, valor do dado etc). O jogo inicia com a primeira criança jogando o dado e seguindo pelo tabuleiro com seu pino até a respectiva casa. A criança seguinte faz o mesmo e assim por diante. Quem chegar em primeiro lugar ao fim da trilha vence a partida.


7- BRINCADEIRA A CASA
Idade: A partir de 4 anos.
Tempo: Uma aula.
Espaço: Sala de aula.
Material: A música A Casa, de Vinicius de Moraes.
Objetivo
Levar você a detectar indícios de que alguma criança esteja presenciando cenas fortes ou sofrendo abuso ou violência sexual.
Descrição:
Apresente a música de Vinicius de Moraes à turma, estimulando a garotada a cantar e discutir a letra ("Era uma casa muito engraçada / Não tinha teto não tinha nada / Ninguém podia entrar nela não / Porque na casa não tinha chão / Ninguém podia dormir na rede / Porque na casa não tinha parede / Ninguém podia fazer xixi / Porque pinico não tinha ali / Mas era feita com muito esmero / Na rua dos bobos, número zero"). Peça às crianças para contar como é a casa delas e perceba se elas contam que presenciam cenas de carícia íntima. Se for o caso, compartilhe com o coordenador pedagógico de sua escola para que os pais sejam chamados e orientados.
8- COMO É MEU COLEGA?
Diga à classe que todos vão ganhar um retrato.
Pregue na parede uma folha de papel Kraft da altura da criança.

Posicione o aluno de modo que fique encostado na folha e, com um lápis, desenhe o contorno do corpo dele. Estimule a turma a dizer como é o cabelo, o rosto, se usa óculos etc.
Durante a atividade, repita muitas vezes o nome do aluno, para que os colegas memorizem.

Faça o retrato de todos. Por fim, peça a um colega que desenhe o seu contorno, repetindo o processo de observação, para que as crianças também se familiarizem com você. Pendure os desenhos na parede e elogie o grupo.

Nos dias seguintes, logo na entrada, pergunte à classe quem é cada um dos colegas desenhados e se ele está presente. Se estiver, ganha uma salva de palmas. Deixe os papéis expostos por algum tempo.

É importante para os pequeninos que suas produções permaneçam ali até eles se sentirem pertencentes ao grupo e ao ambiente

9- OS MATERIAIS QUE VAMOS USAR
Esconda na sala sacos ou embrulhos contendo materiais diversos que farão parte do cotidiano da meninada. Pode ser, por exemplo, livros, jogos, pincel, tesoura ou um pouco de argila.

Peça às crianças que procurem, em duplas, pelos objetos. Isso já estimula a cooperação entre elas.

Oriente a busca dizendo quente, se o que procuram está perto, morno, se está a uma distância média, ou frio, quando estiver longe.

Depois que todos os pacotes forem encontrados, pergunte que atividades podem ser feitas com os materiais e aproveite para explicar melhor a função de cada um.

Mostre como e onde eles ficarão guardados, chamando a atenção para a importância de manter o ambiente de trabalho sempre bem organizado.

10- MEU NOME É...
Faça crachás com o nome das crianças e coloque no chão da sala, no meio de uma roda.
Peça que cada uma identifique seu nome.

Incentive o reconhecimento das letras iniciais, conte quantas letras compõem cada nome e faça com que elas percebam letras iguais em nomes diferentes.

Quando todas já estiverem com crachá, comece um gostoso bate-papo sobre as preferências de cada um quanto a um tema predeterminado (como alimentos, brincadeiras, objetos ou lugares).

Agrupe as crianças de acordo com as afinidades.
Na etapa seguinte, peça aos alunos que desenhem aquilo de que gostam em uma folha e coloquem o nome.

Quem não souber escrever sozinho pode copiar do crachá.
Depois de prontos, os desenhos são mostrados aos colegas e, em seguida, expostos no mural.
Com os alfabetizados, a dinâmica é a mesma, mas, além de desenhar, eles podem fazer uma lista de suas preferências.


http://www.professorasnaweb.com/2014/12/10-atividades-para-os-primeiros-dias-de.html

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...